Pra lembrar de você…

Retomar o blog? Tinha que ser uma “causa” nobre. Tinha quer você, bregera..

Hoje de manhã, na casa da vó, café fresco, leite no fogo, pão quentinho e a casa cheia… Bem como você gostava… Hoje, faltou o seu barulho, a sua risada. Mas sua presença estava lá conosco.

Quem não ganhou uma bicicleta do bregera?

Quem não foi acordado com lambidas, som alto ou água gelada?

Por isso não vou falar de saudade, pois este sentimento é a medida da sua presença, e de que tudo valeu a pena.

Também não vou falar de tristeza, pois você era só alegria.

Vou falar de você, falando de Deus:

Da raspinha da panela saiu esse Alvim Sartorato, que na verdade, era um pouco de todos: Braveza de Dona Dora, calma de tia Dalva, risada de tia Elisea, doideira de tio Valdecir, trabalho de tio Sandro e tio Chico e alegria de tia Marlene. Mais um tanto de vô Mauro e um “restin” de Dona Laurentina. Ficaram ainda sementes: a Pamela e o Igor.

Se o que levamos desta vida são momentos bons, não faltarão histórias pra contar, momentos pra lembrar, férias pra nunca esquecer.

Não precisamos falar de feitos extraordinários, nem de caráteres exemplares, porque somos humanos. …. e o tio Rogério, com suas qualidades e defeitos é amado … por ser o tio Rogério e por amar cada um de nós com nossos defeitos e particularidades.. Era o que ele fazia de melhor..

Eu disse que ia falar do tio falando de Deus, certo? Pois bem.. Deus é família, amor, alegria, companheirismo, partilha.. Então Deus não faltou nunca.

Um pedido pra Deus? Que a solidez dessa nossa família linda seja o alicerce de amor e conforto, que manterá a essência suprema dessa família.

Já disse o cientista que “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”… e mediante a nossa pequenez para compreender os mistérios da vida, julgamos ser eternos, ser sermos. E há exemplo melhor que esse tio pra mostrar que que a felicidade, o viver, o desafiar é nesse minuto, o instante, agora, sem tempo a perder? Tomo emprestadas as palavras do poeta, que descrevem com precisão como o meu tio viveu, em latim, diz assim: Dum loquimur, fugerit invida aetas: Carpe Diem! Quam minimum credula postero.. que significa: Enquanto falamos terás fugido o tempo invejoso. Viva o agora! E que seja mínima a inquietação com o futuro. Esse era o meu tio!!!!

Tio.. pra vc: Deus já sabia da alegria que você traria a essa família quando ele te fez. Ouço Deus dizendo: “Vai filho! Vai distribuir um pouco de mim lá embaixo”.. E foi exatamente o que você fez. mas.. por que não, Deus, em seu infinito amor dizer: “Vem filho, tiro de você a dor, o vício, a culpa e o peso dos ombros.”

Tio, você foi sim a expressão do amor de Deus… Porque Deus… basta a si mesmo… mas ele preferiu contar com você.

Te amo (e vou levar sua teoria Carpe Diem pra sempre comigo.. tatuada nas minhas costas.. rs.. )

Speak Your Mind

*