Mamãe intérprete

Faz tempo, um professor me ensinou que um uma língua não se traduz; se interpreta. Esse era o segredo dos fluentes, segundo ele. Quer ver como é verdade? Deixa a Lana conversar durante cinco minutos e vai entender perfeitamente.. rs.. Só eu sei o que ela quer ou precisa. Não tento traduzir, mesmo porque é impossível. Eu interpreto…  Veja:

  • Cuco: suco
  • Fissi: fish
  • Pati: pato ou pasta de dente
  • Auau: cachorro
  • Miau: gato
  • Quéixe: quero esse!
  • Papa: batata (frita claro!)
  • Tishi: Kitty (Hello Kitty)
  • Tata: amiguinho
  • Dindin: moeda pra colocar no cofrinho! (posso com isso?)
  • Maisi: dar play no DVD porque ela quer ver o filme novamente
  • Cobrir o rosto com as mãos: birra ou brincar de pick a boo
  • Oohh: estou fazendo algo que não pode!
  • uuuhhh: estou arremessando alguma coisa que quebra!

Nessa fase “esponjinha” cada dia é uma nova descoberta, um novo aprendizado. Fala se não dá vontade de espremer!

Speak Your Mind

*