100 anos de imigração…

Descendentes ou não, todo mundo sabe que neste ano comemora-se o centenário da imigração japonesa ao Brasil. Muitas festas, desfiles, exposições, feiras, etc, etc.. Tudo muito lindo, eu também acho, mas vale saber também do lado que quase ninguém vê…

Moro no Japão, conheço a cultura local bem como os aspectos culturais e sociais deste povo. Sou brasileira, morei, estudei, viajei pelo Brasil… Conhecendo os dois lados da moeda posso dar aqui o meu parecer.

Pra ser sincera eu não vejo nada de nobre nisso tudo. Acredito ainda que nem 1% da população japonesa conhece ou está interessada nesta data. Não passa na Tv, não se fala nas rádios, mal se comenta na escola. Hamamatsu, onde moro, é a região com maior concentração de brasileiros no Japão e claro que vai ter um desfile comemorativo, uma exposição e tal, mas… e o resto?

Os japoneses adorariam que nós, estrangeiros, não estivéssemos aqui; os japoneses adorariam que os “fugitivos e covardes” que abandonaram seu país quando mais se precisou deles tivessem seus nomes esquecidos; eles adorariam que a lei de imigração não favorecesse descendentes, cônjuges e afins. Parecem palavras duras mas é bem verdade.

Claro que o Brasil tem motivos de sobra pra comemorar, sejam por motivos econômicos ou sociais as vantagens são inúmeras. Já pro Japão não posso dizer se há felicidade tamanha: bem, não há muitos produtos brasiileros pois eles gostam mesmo é dos produtos do “Tio San”, os brasileiros até que trabalham bem mas dão uma dor de cabeça sem fim. Inadimplência escolar, de crédito, da taxa de merenda escolar (aqui é obrigatória e mínima também), de impostos de todas as naturezas, roubo, assassinato, evasão escolar, greve, acidentes de trânsito, brigas violentas, e por aí vai…

Tenho visto séries de reportagens especiais falando sobre o centenário da imigração, agendas programadas para festas, encontros, teatros, demosntrações artísticas… Detalhe que tudo é em português… Só do lado de lá. Por aqui, comemoração mesmo só o Matsuri.

Speak Your Mind

*