Eu pratico Karate

 

 

Já são 17 anos aproximandamente. E sei que o caminho é tão longo que talvez nem os próximos 17 serão suficientes para aprender toda a filosofia desta arte marcial.

Aprecio todas as artes marciais. Acredito ainda que os escândalos na TV e os casos de polícia não são culpa de nenhuma arte marcial. São culpa dos professores. Assim como tudo nesse mundo há o que é bom e ruim. E não é diferente com os professores – os grandes responsáveis pela disseminação do conteúdo técnico-filosófico de cada modalidade.

Claro que tem por aí aqueles que fazem “um pouco de tudo” e acabam criando uma modalidade nova. Sem bases nem fundamentos. É comum ainda achar que alguns meses são suficientes para se aprender muito. Ledo engano. Os princípios, filosofia, história, técnica apurada requerem anos de treinamento intenso. Anos.

Nunca é tarde para começar. A jovialidade da nossa mente – aberta ao aprendizado – não depende dos números.
Artes marciais são disciplinas rígidas, técnicas perfeitas, precisão, esforço; porém são dinâmicas e democráticas. Abrigam todas as idades e costumes.

Foi no Karate que gastei horas e horas da minha vida. Foi lá que eu aprendi a importância do esforço, da disciplina, da conduta, do respeito. Tive mestres altamente brilhantes! Referências de tudo que é correto e dirigido para o bem. Foram eles que me mostraram que ser professor é uma enorme responsabilidade: pois nunca se sabe até onde seu ensinamento vai estar e seguir. OSS

Comments

  1. Oi Fabiana!
    Oss!
    Também pratico Karate, gostei muito do seu pequeno texto, acho que poucas pessoas conhecem a essência do Karatê, e mais poucas ainda as põe em prática nas suas vidas.
    Você tem algum texto que algum de seus professores tenham publicado? Imagina no Japão deve ser muito show praticar esta Arte!

    Até mais,

Speak Your Mind

*