Pra lembrar de você…

Retomar o blog? Tinha que ser uma “causa” nobre. Tinha quer você, bregera..

Hoje de manhã, na casa da vó, café fresco, leite no fogo, pão quentinho e a casa cheia… Bem como você gostava… Hoje, faltou o seu barulho, a sua risada. Mas sua presença estava lá conosco.

Quem não ganhou uma bicicleta do bregera?

Quem não foi acordado com lambidas, som alto ou água gelada?

Por isso não vou falar de saudade, pois este sentimento é a medida da sua presença, e de que tudo valeu a pena.

Também não vou falar de tristeza, pois você era só alegria.

Vou falar de você, falando de Deus:

Da raspinha da panela saiu esse Alvim Sartorato, que na verdade, era um pouco de todos: Braveza de Dona Dora, calma de tia Dalva, risada de tia Elisea, doideira de tio Valdecir, trabalho de tio Sandro e tio Chico e alegria de tia Marlene. Mais um tanto de vô Mauro e um “restin” de Dona Laurentina. Ficaram ainda sementes: a Pamela e o Igor.

Se o que levamos desta vida são momentos bons, não faltarão histórias pra contar, momentos pra lembrar, férias pra nunca esquecer.

Não precisamos falar de feitos extraordinários, nem de caráteres exemplares, porque somos humanos. …. e o tio Rogério, com suas qualidades e defeitos é amado … por ser o tio Rogério e por amar cada um de nós com nossos defeitos e particularidades.. Era o que ele fazia de melhor..

Eu disse que ia falar do tio falando de Deus, certo? Pois bem.. Deus é família, amor, alegria, companheirismo, partilha.. Então Deus não faltou nunca.

Um pedido pra Deus? Que a solidez dessa nossa família linda seja o alicerce de amor e conforto, que manterá a essência suprema dessa família.

Já disse o cientista que ”na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”… e mediante a nossa pequenez para compreender os mistérios da vida, julgamos ser eternos, ser sermos. E há exemplo melhor que esse tio pra mostrar que que a felicidade, o viver, o desafiar é nesse minuto, o instante, agora, sem tempo a perder? Tomo emprestadas as palavras do poeta, que descrevem com precisão como o meu tio viveu, em latim, diz assim: Dum loquimur, fugerit invida aetas: Carpe Diem! Quam minimum credula postero.. que significa: Enquanto falamos terás fugido o tempo invejoso. Viva o agora! E que seja mínima a inquietação com o futuro. Esse era o meu tio!!!!

Tio.. pra vc: Deus já sabia da alegria que você traria a essa família quando ele te fez. Ouço Deus dizendo: “Vai filho! Vai distribuir um pouco de mim lá embaixo”.. E foi exatamente o que você fez. mas.. por que não, Deus, em seu infinito amor dizer: “Vem filho, tiro de você a dor, o vício, a culpa e o peso dos ombros.”

Tio, você foi sim a expressão do amor de Deus… Porque Deus… basta a si mesmo… mas ele preferiu contar com você.

Te amo (e vou levar sua teoria Carpe Diem pra sempre comigo.. tatuada nas minhas costas.. rs.. )

Ostra feliz não faz peróla – Por Rubem Alves

No caminho

Rubem Alves é um dos maiores pensadores brasileiros na minha opinião. (E na de muita gente também) Escreveu um artigo fantástico: “Sobre moluscos e homens”, que me foi apresentado pela primeira vez quando estava na faculdade, há anos atrás, por uma professora que costumava trazer textos e artigos que encontrava – na tentativa de colocar algo nos nossos miolos jovens ainda carentes de muitas coisas.. rs.. Na biblioteca, esses dias, por acaso encontrei um de seus títulos: “Ostra feliz não {Read More}

[Leia Mais...]

Refazendo o Palavra Borboleta

Beijo de açúcar!

De cara nova! Depois de quase um ano e meio sem postagens, o Palavra Borboleta está novinho em folha. Trabalho bacana da Maysa Luz, que repaginou o blog e colocou nele as pitadas certas dos meus sabores favoritos pra dar ao site essa carinha que agora vocês vêem. Muita coisa aconteceu nesse meio tempo entre trabalho, viagens, família… Não dá pra postar sobre tudo, mas certamente colocarei aqui o que me foi mais marcante. Até o próximo post e um {Read More}

[Leia Mais...]

Histórias para o rei – Carlos Drummond de Andrade

35887

Furto de Flor Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do edifício cochilava, e eu furtei a flor. Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com água. Logo senti que ela não estavafeliz. O copod destina-se a beber, e flor não é para ser bebida. Passei-a para o vaso, e notei que ela me agradecia, revelando melhor sua delicada composição. Quantas novidades há numa flor, se a contemplamos bem. Sendo autor do furto, eu assumiria a obrigação de conservá-la. Renovei {Read More}

[Leia Mais...]

O rumo deste século:

images

Quino, o cartunista argentino criador da personagem Mafalda, desapontado com o rumo deste século registrou brilhantemente a nossa sociedade.. rs.. Eu, particularmente, adoro os quadrinhos da Mafalda. Fiz a coleção toda dela..  

[Leia Mais...]

Histórias para o Rei – Carlos Drummond de Andrade

as-tres-gracas

As Três Graças Um doutor em estética do corpo, ao visitar o Museu do Prado, em Madri, achou que as Três Graças, na tela de Rubens, sofriam de celulite, mais acentuada na Graça do Centro. Procurou o diretor do museu e sugeriu-lhe que o quadro fosse submetido a tratamento especial, de modo a ajustar os nus femininos aos cânones de beleza e higidez que hoje cultuamos. O diretor ouviu-o polidamentee respondeu que nada havia a fazer, pois as obras-primas do {Read More}

[Leia Mais...]

Deficiências – Mário Quintana

images-1

Mário Quintana foi um escritor, gaúcho, nascido em 1.906, e genial. Lembro dos meus tempos de menina quando eu colecionava poemas num caderninho. Hoje eu não tenho mais o meu caderninho. Eu guardo tudo no HD. Mas os poemas.. ah os poemas.. ainda são os mesmos.. Deficiências – Mário Quintana “Deficiente” é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outas pessoas  ou da sociedade em que vive, sem ter cosnciência de que é dono do seu {Read More}

[Leia Mais...]